Aluna de Sto.André ganha dois prêmios nacionais de ciências

Estudante do 2º ano do ensino médio da EE Educador Pedro Cia, em Santo André, Giovanna Coelho Bosso, 16 anos, tem muito para celebrar. Ela foi premiada na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia e na Feira Brasileira de Jovens Cientistas. A adolescente, inclusive, participará do Desafio de Redação, concurso literário promovido pelo Diário e pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano) que chega à 14ª edição.

Na feira de ciências e engenharia, realizada on-line, em março, Giovanna foi contemplada com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Na outra, em junho, faturou terceiro lugar na categoria engenharia, com certificado, medalha e o prêmio PET Mecatrônica na USP (Universidade de São Paulo), com curso de uma semana de engenharia mecatrônica.

Os prêmios são frutos de projeto que desenvolveu. Ela transformou casca de amendoim e resíduos de rochas ornamentais em pó e misturou com resina, criando mesa de apoio ecológica. A ideia surgiu ao perceber “a quantidade alarmante de resíduos sólidos que nosso País produz”, comenta.

Giovanna começou a pensar o projeto em 2019, quando participou de matéria eletiva com a professora de química Rosemeire de Oliveira. “A Giovanna tinha ideia de trabalhar com o meio ambiente e tinha comentado sobre resíduos. Aí a gente deu a sugestão de fazer um compósito, que é a junção de dois ou mais materiais que resultam num terceiro com propriedades melhoradas”, explica a docente.

Seu artigo científico foi enviado por Rosemeire ao congresso on-line nacional de química e publicado no site do evento. “Para falar a verdade, minha ficha para tudo isso ainda não caiu. Estou em estado de euforia e grata. É possível ter reconhecimento na área da ciência”, ressalta Giovanna.

Preocupada com questões ambientais e a enorme produção de lixo gerada pelo consumo desenfreado, Giovanna mudou algumas de suas atitudes cotidianas. “Diminuímos a compra de produtos em lata. Garrafas de plástico usadas para beber água são reutilizadas mais vezes. Demoro menos no banho”, explica.

Sobre o futuro, Giovanna tem certeza de que vai cursar química na faculdade. Para isso, diz ser boa opção participar do Desafio de Redação, que dá ao melhor texto bolsa de estudos na USCS. “Participei ano passado, neste também vou. Ano que vem quero prestar vestibulares, mas o Desafio é boa maneira de tentar entrar na universidade”, comenta a estudante.

Neste ano, por causa da pandemia da Covid-19, o Desafio de Redação será realizado virtualmente. O tema escolhido é As Lições da Pandemia para a Construção de um Futuro Melhor e quem quiser participar tem até 30 de setembro – o prazo inicial, que era 30 de julho, foi ampliado – para fazer a inscrição e enviar o texto no hot-site www.dgabc.com.br/desafioredacao (basta apontar a câmera do celular para o QR Code para ser direcionado à página do concurso).

Podem participar alunos de escolas públicas e particulares do Grande ABC, do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio, além dos matriculados na EJA (Educação de Jovens e Adultos) e telessalas. Além da bolsa de estudo para o melhor texto, donos de outras boas redações levarão notebooks, TVs e tablets.

O Desafio de Redação dará ainda R$ 3.000 para a melhor torcida. Os vencedores serão anunciados dia 16 de novembro.

O concurso é uma realização do Diário e da USCS, e tem patrocínio do Cemitério Vale dos Pinheirais e apoio institucional do Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental).