Bolsa de pós-graduação é novidade no Desafio

Enriquecer o currículo e expandir o conhecimento.Foi assim que Joaquim Celso Freire, professor e coordenador das ações de comunicação, cultura e extensão da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) resumiu o propósito do Desafio de Redação, concurso literário promovido pelo Diário em conjunto com a universidade, que traz como novidade para este ano a participação de moradores da região que tenham ensino superior completo. O vencedor da categoria ganhará bolsa de pós-graduação, podendo escolher um entre os 24 cursos ofertados pela instituição – veja a relação na tabela ao lado.

A modalidade é inédita no concurso que, até o ano passado, premiou somente estudantes do 6º ano do ensino fundamental ao 3ª ano do médio, além de professores. “No último evento a comunidade questionou sobre a possibilidade de participação da população em geral. Analisamos a ideia e achamos interessante”, revelou o professor Joaquim, afirmando que, como o Desafio de Redação ocorre de forma on-line devido à pandemia, agregar a categoria não representou muita dificuldade.

A ideia de premiação, porém, fez parte do objetivo da USCS de incentivar a manutenção do estudo. “Acreditamos que a formação continuada é uma necessidade. Estudo é conhecimento, e conhecimento enriquece o currículo”, disse Joaquim, que destaca a importância do profissional de hoje estar sempre atualizado. “A oferta de uma bolsa de pós-graduação ao ganhador da categoria que envolve a comunidade como um todo, e que tenha ensino superior completo, parece ser elemento positivo, sobretudo porque o custo do curso é razoável, e fazer isso de forma gratuita é um ponto relevante”, confirmou o professor.

Joaquim ainda deu dicas para quem tem dúvidas sobre o curso que deve escolher para realizar a pós-graduação. “O mais importante é estar alinhado ao que se gosta, porque, quando a gente faz o que gosta, se faz mais bem feito”, garante o professor, reforçando que a decisão também deve se basear em cursos que estejam em evidência no mercado, como as opções de tecnologias e comunicação. “Conhecimento é patrimônio e ninguém pode tirar isso de quem tem”, finalizou Joaquim, pontuando que somente os cursos de pós-graduação lato senso estarão disponíveis para premiação – mestrados e doutorado fazem parte do modelo stricto senso e, portanto, não estarão elencados.

O CONCURSO
Assim como em 2020, o Desafio de Redação será de maneira remota devido à pandemia do coronavírus, e trará para discussão o tema A Ciência como Luz na Escuridão. As inscrições são gratuitas e estão abertas até 22 de agosto no hot-sitewww.dgabc.com.br/desafioredacao – basta apontar a câmera do celular para o QR Code abaixo para ser direcionado ao link.

A proposta é que os participantes possam discorrer o assunto em textos de 1.000 a 3.500 caracteres (contando os espaços), na folha oficial do concurso. O gênero da redação é livre para alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, EJA (Educação de Jovens e Adultos) e telessala. As demais categorias deverão escrever artigos de opinião do tipo dissertativo-argumentativo.

O prêmio principal para alunos do 3º ano do médio será um bolsa de estudos na USCS, os demais participantes concorrem a notebooks, TVs e tablets, que serão ofertados aos autores das melhores redações. Os vencedores serão anunciado em programa da DGABC TV transmitido ao vivo pelo Facebook do Diário em 29 de setembro.

O Desafio de Redação tem patrocínio do Cemitério Parque Vale dos Pinheirais e apoio institucional do Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental de São Caetano).