Alunos vivenciam dia a dia de faculdade em S.Caetano

 
Alunos da EMEFM (Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio) Arquiteto Oscar Niemeyer, em São Caetano, ajudam na reciclagem de materiais eletrônicos, pilhas, papel e até buchas de louça. Os estudantes estão acomodados temporariamente dentro da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), no bairro Santo Antônio, por conta de reforma na instituição onde estudam. Mas isso não atrapalhou os projetos de reciclagem, e hoje eles têm maior contato com o Ensino Superior, onde podem fomentar sonhos em relação aos cursos que pretendem fazer.
 
 Apaixonada por psicologia e literatura, a estudante do 2º ano do Ensino Médio Ianca de Oliveira, 16 anos, ainda não decidiu o que vai cursar. “Estou confusa. Gosto das duas coisas. Aqui, posso ter noção maior e tentar me decidir”, contou sobre a USCS. Ela escreveu a respeito de produtos que não podem ser reciclados e encara o Desafio como simulação para os vestibulares futuros. “Uma bolsa aqui seria ótimo. Quem sabe eu não consiga no ano que vem”, torceu. A jovem se referiu ao troféu garantido ao primeiro colocado na categoria 3º ano do Ensino Médio.
 
Por outro lado, também há na sala quem já esteja certo em relação ao futuro. Caíque Vitor dos Santos, 23, vai cursar análise e desenvolvimento de sistemas. Ele tem paralisia cerebral e foi ajudado pelo auxiliar de inclusão Denison dos Santos Lemos, 38, para escrever a redação. Lemos se comunica com o jovem por meio de leitura labial. “Ele dá as ideias e eu vou conduzindo as frases. Pergunto se está bom, leio para ele”, contou. Ontem, Caíque dissertou sobre inspeção veicular e lixo.
 

Devido à alta demanda, as provas do Desafio foram prorrogadas até hoje – estavam previstas para acabar ontem. O concurso literário do Diário é correalizado pela USCS, patrocinado pelo Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental de São Caetano), copatrocinado pela Braskem, e tem apoio da rede de academias Smart Fit.